terça-feira, outubro 31, 2006

“Ainda há Pastores?”

Fui ver um filme daqueles que não são patrocinados pelo ICAM. Um documentário com o título “Ainda há pastores?”, de um jornalista de imagem chamado Jorge Pelicano. Um jornalista de imagem agora (por mérito) transformado em realizador.
O filme é sobre pastores da Serra da Estrela. Não me atrevo a fazer a crítica. Isso deixo para os especialistas, que espero que o vejam, uma vez que possivelmente correrá as FNAC’s do país. Digo apenas que mais do que um documentário sobre os pastores e a sua previsível extinção, o filme, essencialmente, expõe-nos a sentimentos...
“Aqui há pastores?” mostra uma série de almas simples. Usei o termo simples de forma irreflectida. Mas simples são de facto aquelas almas. Simples na apresentação, simples nos desejos e simples no trato. Simples no bom sentido. Simples, como já não se acha onde eu moro.
No escuro da sala rimos muitas vezes. Algumas delas não devíamos ter rido, talvez. Rimos porque já não conseguimos ver aquela simplicidade como natural. É-nos estranha. Não digo ridícula, porque acho que todos nos apaixonámos por aquelas pessoas e ninguém se ri de quem ama. No máximo, ri com quem ama.
Rimos do pastor que é fã do Quim Barreiros – figura (merecidíssimamente) central do filme – e que veste cueca vermelha; da “senhora de 78 anos que ainda corre” a ouvir Beatles na telefonia; daquela outra que dizia que estavam “cheios de pecados porque não têm missa” e toda a gente sabe que “são os padres que tiram os pecados às pessoas” ou ainda daquele casal que diz que “agora com o frigorífico, a gente põe lá qualquer coisa dentro num dia e no outro ela está igual”… Rimos porque temos tantas coisas por garantidas. Rimos porque somos educados, instruídos… snobes.
Não consigo deixar de me identificar com o pastor que se sente tentado a deixar a vida que tem. Quem não sente, um ou outro dia da vida, que tem de sair para o mundo e viver o que nunca viveu?... Que há qualquer coisa melhor? Olho para ele e penso que ele nunca sobreviveria no “meu” mundo. Mas, tal como eu acho que aquele pastor devia estar quieto e não cometer a loucura de se aventurar num mundo para o qual nunca estará preparado, haverá quem olhe para mim e para as minhas ânsias com o mesmo sentimento paternalista, com o mesmo abanar de cabeça condescendente…
Sofro com a solidão pacífica e entusiasticamente aceite por aquela querida ansiã que ainda corre, mas sinto inveja da sua coragem e independência. Ela é tão linda! Minha querida senhora…!
O realizador destacou, no fim da sessão, a hospitalidade com que aquela gente simples o recebeu. “Eles estavam sempre preocupados com o nosso bem-estar”, disse. Vim a pensar nisso para fora da sala. Qual foi a última vez em que eu me preocupei com o bem-estar de um estranho?...

Blog do filme: http://aindahapastores.blogspot.com

13 comentários:

Jotabê disse...

Salvaguardando as devidas distâncias, não querendo atentar à profunda análise e brilhantismo do teu post, eu com 44 também me detenho a ouvir Beatles, tenho a sensação que há sempre uma palavra não ouvida em audições anteriores.
E sabes o que acho ser a maior diferença entre a simplicidade dessas gentes e terras escondidas lá longe e os nossos mundos acelerados e descaracterizados? É a desconfiança nos nossos olhares, se te passeares a reparar os olhares com quem te cruzas, vais ver uma estranha e declarada desconfiança nos olhos das pessoas. Inquietante, eu acho.

:)

Beijocas

pensamentos_vagabundos disse...

ninguem se preocupa com o bem estar dos estranhos,temos medo,mas de que!!
beijo vagabundo

Anónimo disse...

Olá
Não sei como te chamas...mas penso que a intenção é mesmo essa.
Já li o teu post sobre o meu filme "Ainda há pastores?". Fiz um print e vou arrancar agora para Cascais onde vou apresentar filme na FNAC.
Ainda não o vou comentar pois já estou atrasado mas vou a pensar em tudo o que escreves-te...que para mim tem mt significado.

Quando vier de Lisboa vou comentar...(já com a devida actualização)

Muito obrigado
Jorge Pelicano

Enfim... disse...

vou tentar ver.Bjs

Ivo disse...

Despertou-me a curiosidade.....

Deve retratar um Mundo no nosso mundo!! Um cantinho À parte.... percebo o que referes quando dizes «simples»!! Sei o que é ;)

Beijos

HoneyWitch disse...

onde eu moro ainda há pastores...

mas são as vantagens de morar numa kinta no interior do país...ke eu adoro por sinal..e que amo cada vez mais desde que fui estudar para a capital!

gostava mm d ver esse documentário. =)

Unicus disse...

Vi o documentário em 1ª mão.
Por razões profissionais. Adorei.
Beijos

Nilson Barcelli disse...

Não vi o filme mas, pelo que descreves, deve ser muito interessante.

A propósito de te teres perguntado há quanto tempo não te preocupavas com o bem-estar de um estranho...
Há minutos encontrei 3 raparigas espanholas no supermercado, que vieram desterradas para onde estou. Teriam cerca de 18/19 anos e vieram estudar para uma universidade local há 2 semanas. Não faço ideia se sabem alemão ou não (eu não sei, mas tenho ultrapassado esse facto com facilidade), mas achei-as meio perdidas. Ofereci-lhes ajuda no que precisassem e dei-lhes o meu contacto.
Talvez por ter nascido e ter sido criado na aldeia, eu ainda tenho atitudes como a da gente que viste no filme. Atitudes que, para mim, são naturais. Eu, pelo menos, não faço nenhum esforço. Se eu não tivesse oferecido ajuda ou apoio iria sentir-me mal e nunca mais me perdoaria a mim próprio.

Um beijo.

GK disse...

Jorge Pelicano:
Desejo mais uma vez o MAIOR sucesso para o filme. Da minha parte, passarei a palavra.

Nilson Barcelli:
Ainda bem que és assim. Eu tento ser. Mas o facto de ser uma tentativa já diz tudo, não é? Como diz o Jotabê, a desconfiança nas cidades está quase sempre presente e é inquietante!...

Bjs a todos!

Lord of Erewhon disse...

Enquanto houver ovelhas...
:)=

1975

Hawkwind-The Golden Void Part II
http://download.yousendit.com/8A4D0D16368597F3

Hawkwind-The Wizard Blew Is Horn
http://download.yousendit.com/177781D1433A8755

Hawkwind-Magnu
http://download.yousendit.com/60DEFDD92D7BA90A

Hawkwind-Standing At The Edge
http://download.yousendit.com/967871131A545197

Hawkwind-Warriors
http://download.yousendit.com/345E79256CC80746

1997

Hawkwind-(live)-Wheels
http://download.yousendit.com/0EEBF6350A568B1F

NOTA: SÓ DISPONÍVEL NOS PRÓXIMOS 7 DIAS.

stela disse...

Vou tentar ver o filme.
Pessoas mais "humildes" com falta de vivência (leia-se pessoas que nunca saíram da sua terra), dão o que de melhor têm a nós, que pensam sabermos muito, termos muito, nós que vimos das cidades, que "desconfiamos" de tudo e de todos, que por vezes vivemos "num mundo cão"... é engraçado ver, que eles nos valorizam por o que temos, que às vezes é tão pouco e nós pelo oposto, pelo que não têm e a tudo o que têm o significado imenso que dão...
bjs

≈♥ Nadir ♥≈ disse...

Ando sem tempo e a fugir
Mas vim desejar-te
Um dia a sorrir...

Beijos e bom fim de semana

SoNosCredita disse...

"Minha querida senhora…!"

tão querida, que apetece ou trazer para casa, ou ir fazer-lhe companhia!


sempre a questionares-te...

acho que concordo com tudo o que escreveste.
impossível não nos apaixonarmos por aquelas pessoas!
e impossível, também, não compararmos as mudanças que temos vindo a sofrer...
será que tudo isto mudou para melhor?