domingo, outubro 22, 2006

Viver

Acho que passei a ideia errada. Eu não ando tão mal quanto parece. Ou antes, eu ando sempre mal com o assunto “O que faço da minha vida (para que ela continue a ser vida e não sobrevivência)?”, mas choro, limpo as lágrimas e sigo! Não me vou matar por causa disso ou já o teria feito quando entrei num curso que era “o menos mau do mau” (Comunicação Social). (Um curso fantástico, none the less!, e que eu adorei ter feito e usado! Recomendo-o, inclusive, contra toda a racionalidade!)
Eu apenas sinto o que muita gente sente e não sabe colocar em palavras. Sinto que há “algo” mais do que “isto”, algo mais belo, mais real, mais autêntico. Algo que não me faz ter de engolir em seco para continuar. Algo que me faz saltar de alegria só de pensar. Algo que eu ainda não encontrei para mim…
Dantes pensava que “estava a viver uma vida que não era minha”. Uma frase típica de adolescentes e de adultos que tentam arduamente “encaixar” e não conseguem. Adultos que ainda não perceberam que têm mesmo de se rebelar (e revelar) se querem ser felizes. Não que eu seja feliz. Não posso dizer que seja. Ou talvez o seja e não saiba…
O que eu quero dizer é que a vida é nossa! E se sentimos que não é, é porque NÓS estamos a vivê-la mal! Estamos a fazer algo de errado. Ela está, de facto, nas nossas mãos! E o esporádico sentimento de felicidade aparece quando sentimos isso para lá de qualquer dúvida! E, by God!, eu já o senti! Sinto-o cada vez mais!
Mas isso não quer dizer que a batalha tenha terminado! Não, não é assim tão simples. Primeiro encontras o caminho, depois percorre-lo e no fim estará lá algo, bem ao fundinho. Algo merecido!
É o caminho que eu estou a percorrer. E é a espera que me mata!
Mas, como eu disse, chora-se, limpam-se as lágrimas e segue-se em frente. É a isso que se chama viver. (Viver, não sobreviver! Quem sobrevive não chora, porque se habitua à dor de não viver e nem a sente…)

10 comentários:

Enfim... disse...

Quem vive tambem subrevive.Bjokas

mixtu disse...

enfim... está numa fase de inquietudes... procuras...

uma busca de um caminho com caminhantes...


beijos europeus

BroTTas disse...

tenho d econcordar com a Enfim.. quem vive também sobrevive... mas o textyo da GK e profundo, sinto exactamente o que ela diz, procuro viver não sobreviver e a espera de alcançar o que quero as vezes faz-me chorar, mas limpa-se e segue-se em frente a que lutar pelo nosso "VIVER"... Beijos

Ivo disse...

Parece um pouco sofrer para alcançar!! MAs sei o que falas..... mas tb só assim faz todo e qualquer sentido!! O conformismo não levaria a lugar nenhum.... antes umas horas tristes, mas depois a conquista!!

Boa Semana ;)

Mina disse...

É dificil alcançarmos o que queremos para nós. Mas desistir é que não pode ser!
Boa semana, beijoca!

stela disse...

De tudo o que disseste o que mais me "marcou" foi " e é a espera que me mata!..." eu compreendo amiga... como compreendo a mim mata também.
Percebi que vives e claro que não sobrevives. O caminho como sabes é para a frente! ;-)
bjs

Pierrot disse...

Por acaso tinha tido a percepção correcta da coisa...

Ainda assim, animo e persistência pois essa é a única que só depende de ti...

Bjos daqui Gk.
Eugénio

Anónimo disse...

Sem tempo até para correr contra o tempo...
Passei a correr mas não podia sair sem deixar votos de uma boa semana.
Beijos

José Manuel Dias disse...

..só é vencido quem desiste de lutar...e muitas vezes a oportunidade bate-nos à porta e não a abrimos...Está atenta, sempre!
Bjs

Unicus disse...

Se escolheste comunicação social por paixão, sê benvinda. A insatisfação é algo que faz parte do ser humano. A não existir como poderias traçar novos objectivos?
Beijo