sexta-feira, outubro 27, 2006

“Os abortos não podem ter lista de espera!”

Vi, esta semana, este título numa revista de renome. Quem diz esta frase é a directora de uma famosa clínica de abortos espanhola, situada perto da fronteira com Portugal e que, pelos vistos, recebe muitas clientes portuguesas…
Ora, perante este título, só me ocorreu o seguinte…

Portugal vai a referendo sobre o aborto em 2007 e ganha o “sim”. Os hospitais públicos preparam para dar resposta às novas e (agora) legais necessidades das pacientes. A azafama do costume. Os pedidos de aumentos de orçamento do costume… Finalmente, a coisa dá-se… Aos fim de um, dois anos as mulheres que não querem ter “aquele” filho podem finalmente fazer abortos legais através do Sistema Nacional de Saúde!

Portugal, 2027. João acaba de fazer 18 anos quando recebe um postal do hospital local. Diz o seguinte:

“Avisa-se o Sr. João qualquer coisa que, na próxima Terça-feira, dia tal de tal de 2027, cerca das 10 horas da manhã, os Hospitais da Universidade de Coimbra irão proceder ao seu aborto. Pedimos desculpa pela demora.”

João acha que é brincadeira, a mãe nem sequer lhe tinha dito que um dia ponderou abortar! Não liga… Mas na tal Terça-feira, à hora marcada, uma junta de médicos procura o João e, como ele se recusa a colaborar, eles perseguem-no pelo bairro, com objectos que parecem de tortura na mão e João torna-se um dos muitos casos de aborto atrasado… Mas o Ministro da Saúde garante que as listas de espera estão a diminuir: no próximo ano, os pacientes terão, no máximo, 16 anos…

LOL

12 comentários:

Jotabê disse...

E se calhar ainda pregam uma multa qualquer ao desgraçado do João, por andar na ilegalidade há 18 anos, porque ele nem devia existir.
Gostei da ironia.
Obrigado pela visita
:)
Beijocas

Enfim... disse...

eu sou tão contra o aborto que nem me apetece falar nisso acho uma xaxada é uma vergonha...

Endless... disse...

É o país que somos e temos!
A tal Republica das bananas!

13 disse...

Ironia q.b. Gostei do texto! Coimbra é linda! É nossa...

name unavailable disse...
Este comentário foi removido por um gestor do blogue.
name unavailable disse...

genial.... :)) já estou até a imaginar a ser criado um sindicato para os abortados em atraso, os partidos em campanhas a prometerem abortos em dia..enfim é o circo português!! é verdade o primeiro caso de aborto atrasado já foi diagnosticado, chama-se José Castelo Branco...

Nuno

SoNosCredita disse...

será mais ou menos por aí!

ainda assim, talvez seja melhor o "Sim".

ou talvez não...

Bikoka disse...

Um post digno de ser colocado no blog Saúde SA:

http://saudesa.blogspot.com/

Ines disse...

Caustico!!!!
muitas questõs éticas se levantam...
Há que conseguir pensa-las!

Mina disse...

Realmente neste país de eternos atrasos de vida, o futuro não pode ser brilhante.
O assunto é sensível e foi uma óptima forma de o abordar :)
Beijoca.

Pierrot disse...

Espectacular Gk
Demais mesmo.
Tocaste no assunto, tão delicado, de uma forma irónica mas que não choca ninguém.
Eu não consigo ter uma opinião formada sobre o assunto, embora à 1.ª vista me incline para o Não.
Bjos daqui
Eugénio

José Manuel Dias disse...

A situação é demasiado séria para, a meu ver, ser colocadada desta maneira...A realidade do aborto existe. A questão que se coloca, a meu ver, é, se podemos combater o aborto clandestino propiciando condições mínimas de segurança às mulheres que desejam fazer a IVG. Penso que sim. Assim,aconteceu nos países mais evoluídos. Os abortos diminuiram e as mulheres que em última instância o praticam se colocam sob a alçada da lei, fazendo ao mesmo tempo perigar a sua vida. Votarei sim no Referendo, a favor da Vida e não apenas do nascimento.
Bjs