sexta-feira, março 30, 2007

As coisas simples...

O comboio continua a fascinar-me. O trabalho parece-me simples, “descomplicado”, plácido e, no entanto, prazeiroso. E todo um novo leque de sentimentos que estou a descobrir. Ou talvez não sejam os sentimentos que são novos, mas a aplicação que faço deles e a forma como os conjugo…
Eu, GK, estou a trabalhar numa vila. Não tenho microfone, tenho bloco e caneta. Não faço directos, escrevo num semanário. Demoro 45 minutos de comboio para lá chegar. Mais 45 para voltar.
O cinema lá é só à Sexta-feira. Não há centros comerciais com 300 lojas. As reportagens são feitas a pé. E já percebi que as maiores estrelas da zona somos nós: as responsáveis pelo único jornal da vila. Vou dizer outra vez: VILA!
Mas eu não ando triste com o facto de a minha audiência ter passado a ter apenas 3500 pessoas. Não me chateia ter de apanhar o comboio. Não me aborrece escrever sobre a Via-sacra da igreja. Nem sequer me incomoda ouvir: “Eu sei que é nova aqui, eu ainda não a conheço!”
A tudo isto sorrio.
Eu, a urbana. Eu, a inquieta. Eu, a inconformada. EU estou a GOSTAR de “viver profissionalmente” numa VILA!
É como ter o meu próprio micro-cosmos proveta. Não sou de lá. Não vesti a camisola. Não vou fazer parte daquele ambiente (não saberia fazê-lo!). Mas aceito-o como se se tratasse de um estudo, uma experiência. Mas uma experiência humana, onde entra o coração.
Observo. Envolvo-me. Sorrio das suas “coisinhas”. São ternurentas. Amorosas. Reais.
Aquilo para onde muitos olham de cima, ensinou-me uma preciosa lição: o segredo da felicidade é não levar nada a sério: nem o trabalho, nem a mim. É saber sorrir e ver beleza nas coisas simples. Porque ela existe… e em quantidades MASSIVAS.

12 comentários:

Miss Alcor disse...

Fico muito feliz por saber que estás liberta e satisfeita com o que estás a fazer!
Ás vezes uma realidade diferente acaba por nos abrir os olhos porque nos faz pensar e repensar os nossos valores e dá-nos uma nova perspectiva!
Sempre ouvi dizer: Se estiveres à procuras da grande felicidade, acabas por perder os pequenos momentos felizes de todos os dias! Portanto, é aproveitar, enquanto a maré dá! ;

olhos cor do lago disse...

É bom parar e observar o que há de bom à nossa volta, não é?

Beijos

Assessora Oriflame disse...

Olá! Venho agradecer o comentário e dizer que pode sempre passar no meu blog quando quiser.
Beijocas...

Marta disse...

Gosto de coisas simples...
Bom fds.
bj

Ivo disse...

Sabes,

Durante estes ultimos anos que passaram, tenho vivÊnciado o processo inverso: saí da Vila para a cidade e, da cidade do interior, para a grande cidade!

Actualmente, não posso dizer que me identifique em nada com a vida de Lisboa! A questão até nem seja, identificar-me! Sou urbano, sim!! Mas há dias que tudo se me torna caótico demais!! é para mim indispensável, as visitas à minha Vila no interior alentejano! Aquelas em que recarrego baterias... e tudo é simples!!

Já aprendi umas coisas, entre as quais, uma que muito me chocou inicialmente: Na cidade grande, ser simpático, sorrir, e afins, em nada afecta a maioria das pessoas!! Mas... é a lei da selva! A selva urbana... claro, sem a qual, ja não consigo passar!!

Bom Fim de Semana

Brunito disse...

As vilas e aldeias tem um de dois efeitos nas pessoas.
Ou deixa-as com um espirito mais aberto às coisas simples, ou ganham um rei enorme na barriga e passam a seres pseudo-superiores.

voyeur de blogs disse...

Ora aí está!

Ainda bem que me lembras isto, é que ás vezes a nossa memória prega-nos umas partidas, e mete as coisas verdadeiramente importantes de ser lembradas lá nos confins.

Este poderia ser um texto para imprimir, plastificar e pendurar no espelho da casa de banho. Todos os dias de manhã, ao acordar, lia-o enquanto faço a barba.

Que bela ideia...

GK disse...

Brunito:
Isso é alguma indirecta? LOL
;)
Bj.

Brunito disse...

Não.

Como fazes parte do 1º grupo, visto teres ficado mais atenta as coisas simples, estas na boa.

Só tava a dizer que existe sempre o lado contrario, como tambem referiste.

Basicamente so disse o mesmo que tu:D

The Star disse...

As coisas mais simples, são sempre aquelas que podem trazer mais felicidade.
Eu não me importava nada de trocar a cidade grande por uma vila mais pacata. O ritmo de vida é completamente diferente.

SoNosCredita disse...

"Não sou de lá. Não vesti a camisola. Não vou fazer parte daquele ambiente (não saberia fazê-lo!). Mas aceito-o como se se tratasse de um estudo, uma experiência. Mas uma experiência humana, onde entra o coração.
Observo. Envolvo-me. Sorrio das suas “coisinhas”. São ternurentas. Amorosas. Reais."

tive uma experiência muito semelhante, nos últimos 4 meses.
:)

o mais bonito e interessante foi, ao vir embora, ter-me despedido apenas das pessoas comquem tive alguma afinidade. as que não interessaram, ou não as vi ou não se despediram ou não calhou em conversa...

pinky disse...

aproveita bem todas as lições que a vida te oferece, ás vezes é nas pequenas coisas, nos microcosmos, que as grandes lições se encontram ;)