sábado, fevereiro 17, 2007

Alterar padrões de comportamento

"Muito do comportamento humano resulta de padrões de comportamento condicionado implantados no cérebro especialmente durante a infância. Estes podem persistir quase sem modificação, mas muito frequentemente vão-se adaptando gradualmente às mudanças de ambiente. Porém, quanto mais velha a pessoa tanto menos facilmente pode improvisar novas respostas condicionadas a tais mudanças; a tendência, então, é fazer o ambiente ajustar-se às suas respostas cada vez mais previsíveis. Muito da nossa vida consiste na aplicação inconsciente de padrões de reflexo condicionado adquiridos originalmente por estudo árduo.
William Sargant, in 'A Luta Pela Mente'

E o que se faz então, quando se chega à conclusão que esses padrões de comportamento não estão a resultar…? Mudam-se? Como?

O que diz o Google:
http://www.vidyayoga.org/palavrasdomestre/palavrasdomestre.asp?23
http://www.alfmarc.psc.br/psi_padr.asp
http://www.redepsi.com.br/portal/modules/soapbox/article.php?articleID=98
http://www.possibilidades.com.br/intelig_emocional/pnl_como_mudar_de_eu.asp
http://somostodosum.ig.com.br/blog/blog.asp?id=2577

...Tomando consciência do que nos faz felizes ou infelizes e porquê; e parando de censurar o que o nosso coração diz… A partir daqui é possível mudar.

…Caminho looooongo e árduo…

4 comentários:

Borboleta disse...

:) Eu não tenho alguma dificuldade em seguir o coração...com os anos ...tornei-me uma racional....uma bom fim de semana para ti..jinhos ;)

Jotabê disse...

Também depende do que se tenha para mudar, há por muita gente que o melhor é esperar por nascer de novo, tal é o que têm para mudar nas suas personalidades, não me parece o teu caso...

:)

beijoca

SoNosCredita disse...

muuuito longo!
mas é possível mudar... algumas coisas.
há outras que permanecem e morrem connosco!

voyeur de blogs disse...

YEAP...
Num é fácil caraças...a gestão entre a razão e o coração, ainda por cima com os tais dos condicionamentos.
Mas, ter consciência disso é um muto bom sinal e
ponto
de
partida