terça-feira, janeiro 09, 2007

Bem ou Mal...?



Estou de bem comigo e de mal com o mundo!
Diz as pazes com a minha pessoa, com o meu percurso, com as minhas escolhas, mas tudo o resto é velho e insatisfatório!
Tenho a vida de uma anciã de 80 anos! Só me falta fazer renda. (O que pode perfeitamente acontecer a qualquer momento, porque eu até tenho jeito para a coisa!)
Desde o Natal que eu não vejo a luz do dia. A última saída foi a calmíssima noite de fim de ano. E nem quero pensar há quanto tempo não dou uma queca! (E o pior é que, francamente, também nem me apetece!)
Os dias são demasiado longos para que eu os queira enfrentar – a eles e aos inevitáveis encontros com vizinhos e conhecidos, em que, miraculosamente, a pergunta “Então, já tem emprego?” teima em aparecer –, por isso prefiro as noites. Vejo o dia nascer antes de poisar o livro ou desligar o computador. Ao menos nenhum deles me faz perguntas incómodas e estão sempre disponíveis para me acompanhar nas ideias mais loucas.
Não tenho jeito para pedir ajuda, muito menos quando não preciso de “ajuda”. Não quero um ombro para chorar (chega disso!), quero vida, quero alegria, quero desafios e novidades! Mas à minha volta não está ninguém ou, os que estão – muito ocasionalmente – não se querem dar ao trabalho de quebrar a rotina para me fazer feliz. E eu também vou perdendo esse hábito… É que é muito cansativo estar sempre a inventar novos desafios solitários…

8 comentários:

Mina disse...

É nestas alturas que precisamos mais dos outros, e menos os queremos... Dizer que tudo melhora com o tempo é o usual, mas para ser assim temos que fazer algo!
Ao menos desabafe-se! :)
Beijoca.

Marta disse...

E permites aos que estão presentes, ainda que ocasionalmente que tentem fazer-te feliz?
Permites q a luz entre pelas janelas ou preferes dormir? Queres uma vida nova? Conquista-a, luta por ela... permite a ti própria fazeres-te feliz. Eu sei que é fácil falar e difícil fazer, se sei, mas o q é um facto é q se n correres atrás nada te virá bater à porta, só por milagre... acreditas em milagres?
Desculpa, não devia ser este o comentário q querias... mas gostei realmente do teu post, revi-me nele... por isso não quero ser uma “querida”, limito-me a ser eu...
Força!
bj

nuno disse...

uhmm...tu não queres é admitir o teu estado vampiresco!
É isso, a luz do sol desfigura-te!!!
eu sempre suspeitei!
afinal não estou sózinho, muahahahaha...

SoNosCredita disse...

"Os dias são demasiado longos para que eu os queira enfrentar"

o que poderei eu fazer?

vem até Elvas!
:)

Esteril disse...

Minha cara amiga, estas no fundo do posso e esse estado, faz com que te remetas mais ao isolamento. Estas sem animo e não queres que te vejam assim, logo quem não te ajuda, para começar és tu mesma. Ninguém te ajudará porque tu não estas a reagir ou a lutar. Começa a fazê-lo que há muita gente que te vai dar a mão. Se aparecerem os indiferentes que não te possam, não queiram ou não saibam ajudar, ignora, não fiques a lamentar-te, há mais pessoas no mundo, procura as que te fazem bem, reinventa-as. Mas tens de te reinventar primeiro a ti ;)
Sabes a historia do cavalo do espanhol? Cada vez comia menos, o dono cada vez dava menos comida, um dia deixou de comer e acabou por morrer e o dono disse, porra, agora que ele estava a ser economico é que morreu... Não te deixei acumudar a essa vida morta proque depois ou "morres" ou vais perder a auto-estima e mais dificilmente sairás da fossa!
bjs

stela disse...

Quantas vezes não tive vontade ou não quis fazer o mesmo. Simplesmente entregar-me...
Pareces-me muito nova para viver uma vida assim... não seria melhor fazer um esforço, (que eu sei ser difícil, quando se chegou ao ponto de "não querer nada"!) para deitar à noite, tipo 11 e tal, meia-noite e acordar de manhã e ir à procura de emprego? Eu sei que está difícil, mas assim... pior vai ser...
Vá lá FORÇA, não baixes os braços!
Não gosto de "ver" assim!
beijo grandes!

PS. Qd quiseres vir a lisboa... tenho um quarto a mais! :)

Jotabê disse...

Perturbante relato de quem está desempregado de profissão e de ‘vida’ também. Tenta lá resolver primeiro esse ‘desemprego de vida’, que mais tarde ou mais cedo aparece qualquer coisa profissional.

:)

Beijoca

Maria disse...

Pois... também tou no mesmo caminho (se é k se chama alguma coisa ao estado de inércia total) e sei que é assustador. É fácil dizer: vá faz-te à vida - mas há demasiadas condicionantes, o dinheiro então... limita toda e qualquer escolha. Ir para onde? Com que meios? O mais frustante é querer sair e estar presa a um ciclo que parece que nunca mais se quebra.