segunda-feira, novembro 27, 2006

Envelheço

Sinto-me com 70 anos. Os meus dias são todos iguais e eu ainda não tenho idade para isso.
Estou farta do que me rodeia. E estou farta de sentir sempre o mesmo, de ter as mesmas mágoas. Sou jovem demais para mágoas.
Com estas palavras, justifico a minha falta de vontade de escrever neste blog nos últimos tempos.
Não tenho nada de novo para dizer. É tudo velho. E por isso não quero ouvir (ou ler) as gastas palavras de apoio. Conheço-as. Sei-as de cor. Uso-as de mim para mim e já são VAZIAS.
O que eu quero é uma mudança. Drástica!
E não me digam que está nas minhas mãos, porque não está! TUDO o que eu podia fazer, já fiz. Excepto as malas. (Só se ganhasse o Euromilhões é que poderiam pensar, realisticamente, em fazê-las.)
Por isso, talvez entre em greve de escrita, talvez não entre; talvez amanhã esteja a rir do cinzento dia de hoje; talvez aprenda a olhar para as vitórias passadas com um sorriso e a retirar delas o que preciso para continuar, em vez de as ver como exemplos isolados e dificilmente repetidos.
Mas hoje (e ontem e anteontem…) estou assim: batida, derrotada, cansada, farta, como TANTAS e TANTAS vezes antes. Mais cansada do repetir interminável deste sentimento do que do que o provoca.
E não, não é o desemprego que me deprime; nem os amigos que às vezes se revelam pouco atentos, pouco diligentes em mostrar aos outros o quanto os amam; nem o namorado sempre ocupado e distraído. Não. Eu “entendo” tudo isto.
O que me deprime sou eu. É o não encaixar AQUI. É o NUNCA ter encaixado. É o adiar indefinido da partida inevitável. Por cobardia? Por falta de oportunidades? Por comodismo? Talvez por tudo isto. É o ter-me encontrado e mesmo assim não me saber reter e perder-me repetida e desesperantemente. É o não ter alma, porque a deixei noutro lugar.
O que fazer?
Não sei. Nunca sei. E, por isso, repito este ciclo infernal que me consome, que me envelhece, que me faz perder a fé em quem sou e no que posso conseguir.
Por isso hoje não quero palavras de conforto. Recuso-as, por as ter ouvidos vezes demais.
Quero uma mudança. Exijo-a, porque já a mereço. Aguardo-a. E a aguardar… envelheço.

21 comentários:

pensamentos_vagabundos disse...

que dizer!
que tambem sei o que é sentir-me assim preso em nada....bastava um acto simples de loucura para deixar tudo,bem simples,mas nunca o fazemos e envelhecemos todos os segundos....
venha o euro milhoes..
beijo vagabundo

Anónimo disse...

Sem palavras... infelizmente, há muitos dias assim.
"Respirare"...
Beijoca.

asdrubal tudo bem disse...

a mudança só tu a podes fazer ninguém o pode fazer por ti. Mas fá-la quanto antes caso contrário quando deres por ti já não vais a tempo.

Unicus disse...

Nota: a mudança surge quando a deixamos acontecer.
Bjs e espero que essa alteração se dê de imediato.

nuno disse...

uhmmm...para uma septuagenária pareces bem jeitosa!
tu não querias mas vou-te deixar na mesma umas palavras de conforto: pôr-do-sol, luar, passeio à beira mar, contemplação do mar, risos, vida! e pensar que tudo isto existe!
porque não vais tirar umas fotos?
olha para o mundo de uma perspectiva diferente, através de uma lente, pode ser que gostes mais do que vês...

beijo

stela disse...

se calhar ainda não chegou o momento... o tal em que fazemos as malas e zarpamos! por vezes adiamos, adiamos sem saber porquê... talvez ainda não esteja na hora...
beijos grandes e amanhã é outro dia :)

Anónimo disse...

Precisas duma mudança radical, sem as palavras de apoio normais... hummmm.

Que tal:

és mas é UMA GRANDE bimBa quE para aquI anda e devias era ter Juízo e nãO andar a dizer mal da porCaria da vidA! ;)

PS: amanhã é outro dia!

Mossoila disse...

RAFEIRO...

ÉS UM IDIOTA, MAS VINDO DE TI, ESTÁS PERDOADO.

GK,
Caraças, quem te manda a ti seres uma leitora e uma apaixonada pela vida?

Tal como TU dizes, deixa as coisas acontecerem. Não esperes demasiado, pois senão a desilusão é enorme... olha, para mim... há dias não esperava e tive uma SURPRESA enorme por parte de amigas e amigos.)

Quanto à minha vida profissional sabes como estou e é só por esperar demasiado...

Eu sei que se envelhece quando não nos dão valor, quando temos tanto para produzir e no teu caso, continuas a fazê-lo... e mesmo assim PARECE que não te dão valor.

Lamento que estejas assim, mas olha gosto da sugestão do nuno... que dizes?

Beijokas, até breve ao vivo e em presença.

The Star disse...

Tomei a liberdade de te adicionar ao MSN, espero que não te importes.
Se quiseres fazer uma nova amiga, nem que seja só para passar algum tempo na galhofa, já que estás a precisar de algo novo na tua vida, mete-te comigo no Messenger. Eu sou a estela_picarra.
Posso não resolver nada na tua vida, mas posso tentar colori-la um pouco mais, que tal? Aceitas?
Beijocas de solidariedade.

Jotabê disse...

Vou-te contar uma estória.
Há bastantes anos atrás, tive um canário amarelo, (eles são quase todos amarelos, portanto até aqui nada de extraordinário), que tinha duas particularidades, cantava com as luzes apagadas, desde que sentisse barulho em casa, era um pandemónio à noite tínhamos de ver televisão com a merda do canário na sala, senão, se ficasse na cozinha sozinho, fazia uma chinfrineira desgraçada, e aoutra era ser extremamente dócil, vinha comer fruta à mão, ficava pousado nos meus dedos a piar, etc. Era eu que tratava dele, adorava aquele bicho. Um dia quando lhe lavava a gaiola, sem querer entalei-lhe a patita na porta, ele a tentar libertar-se partiu-a, ficou com a pata vincada a meio, meio torcida. Com o passar dos dias foi ficando escura, inerte, até que caiu, ficando o animal só com um touquito, mesmo junto ao ‘culóte’.
Nem imaginas o que eu sofri, misto de remorso e pena do amputado. Apesar disso o Zacarias, (nome que lhe tinha dado), continuava cantador, dócil, e sem qualquer sintoma de rancor à minha pessoa, ou de desprezo pela vida, mesmo diminuído.
Muitas vezes olhei demoradamente o bicho e concluía que os humanos eram mesmo complicados, se tivesse perdido eu uma perna, teria ficado destroçado para o resto da minha vida, avalanches de depressões, montanhas de sentimentos miserabilistas, carradas de pena, enfim, a partir dessa data passei a questionei muito esta complexidade que são, e que damos aos sentimentos.
Bem, em abono da verdade, também não sei ao certo se foi a partir dessa data, mas sei que, quando a vida abrandava e ficava a escorregar na merda sem conseguir avançar, saltava para o lado, apanhava chão novo e acelerava de novo.
Portanto deixa-te lá de lamúrias lamechas, salta para o lado, apanha chão firme e arranca de novo.

:)

Estaladas, para ver se espevitas...

...vá lá um beijo também.

SoNosCredita disse...

"Sou jovem demais para mágoas."

às vezes sinto o mmo.
talvez ñ seja verdade.
mas dsd que tomei 'consciência', tenho-me apercebido de que realmente mta coisa já me marcou!


"Não tenho nada de novo para dizer."

tem-me acontecido o mmo.


"O que me deprime sou eu. É o não encaixar AQUI. É o NUNCA ter encaixado. "

cada vez penso mais nisso!


*

SoNosCredita disse...

estória bonita, a do jotabê!

:)

Anónimo disse...

Sei bem o que sentes porque também eu estou a sentir-me cada vez mais velho.

mitro disse...

E acredita-me, que com a idade, não há perspectivas de melhorar!

A.J.Faria disse...

A vida é muito dura por vezes, mas este facto deverá ser um estímulo, nunca um motívo de desânimo.
Bjs

José Manuel Dias disse...

As nossas leituras são sempre resultado do nosso ângulo de visão...Muitas vezes, olhando as coisas de outro modo, encontramos soluções para os problemas e dificuldades com que nos confrontamos. Se não tentarmos...não fizemos tudo o que estava ao nosso alcance.
Abraço

Anónimo disse...

Mossoila e GK, espero que tenham percebido que no meu comentário era só para ler as letras maiusculas. Nunca ofendi ninguém e não era certamente agora nem aqui que ia começar...

stela disse...

então amiga? melhor? passei para te deixar um beijinho...

Patricia Ran disse...

Repara nas ofertas mais pequenas que o Universo te concede... quem sabe nalguma delas, está a verdadeira mudança!!!
E... quando mais procurares fora de ti... mais longe a encontras...
1000 pétalas de Luz

m_dyunisius disse...

Minha amiga... não imaginas o quão triste me senti agora, ao rever nas tuas palavaras a minha indignação constante perante tudo e todos, sobretudo perante a minha inércia... Triste? Naturalmente que imagino que há mais almas assim, inquestionavelmente infelizes, por esse mundo fora, mas porque... ainda não havia notado este meu reflexo no teu olhar.
Juro que, quando estiver por Coimbra (aí que saudade... da noite!) vos convido para... vos ver. Beijinhos e feliz natal!

GK disse...

Obrigada a todos.
Este post reflete um sentimento recorrente. Apenas.
Sei que tenho muitas graças a dar pela vida que levo. Mas é inevitável, às vezes, olharmos para tudo o que batalhámos (por muitos jovens que sejamos) e não ver progressos. Mas também sou das que acredita que tudo tem um propósito, uma razão e que se algo ainda não me aconteceu é porque eu ainda não estou preparada para que me aconteça...
Não sou dada à inércia. Vou continuar a lutar. Sempre. Aprendi a ser assim há muito anos e da forma mais simples e superficial.

...Keep The Faith.

(RAFEIRO: Não há qualquer conflito, já li as maiúsculas e as minúsculas e a Mossoila ADORA-TE! LOL)

Bj.