domingo, maio 06, 2007

O circo chegou à cidade

Adoro. Amo! A confusão e a simpatia transbordantes do circo que chega à cidade. Os Stage Trucks que se acumulam junto ao recinto. Os testes ao PA. As carrinhas de vidros fumados junto à porta de trás. Os roadies nos seus eternos calções. E, finalmente, o sound check, onde se ouvem os heróis a tocar ou a cantar.
Arrepia-me. Faz-me sentir viva.
Adoro este circo. Amo-o. E odeio-o com a mesma intensidade, por o saber um negócio de enganos. Mas NADA substitui o frio no estômago quando tenho todos os meus sentidos envolvidos pela sua magia.
Adoro o período de “estágio”, em que o CD ou o MP3 discrimina os êxitos dos outros. E quando o grande dia chega, a espera à porta do recinto, com ou sem dormida, com ou sem comida, com ou sem descanso. A entrada sufocante, quando as portas se abrem. A corrida até às grades. A alegria de as atingir. As parvoíces e risos idiotas que se partilham ao imaginar os cenários irreais em que os artistas são as estrelas, juntamente com os insignificantes “nós”. O sentimento de opressão pela alegria contida quando soa o primeiro acorde. O desejo urgente de ouvir “aquela” música. E a inigualável liberdade de sentir que ela chegou, que estamos satisfeitos, que já chega, que a felicidade existe.
Amo os despojos da noite. Os maços de tabaco amarrotados. Os copos de bebida abandonados. As luzes que se acendem de novo no palco vazio para iluminar o percurso do fim. As barraquinhas que vendem uma junk food que as pupilas gustativas reconhecem como verdadeiros manjares. Os cartazes e t-shirts que se trocam e vendem. Os números de telefone oferecidos como prendas merecidas. As promessas de amizades para sempre. E aquelas que vingam e cumprem a promessa.
Amo. Preciso disto para me sentir viva.
É como um vício que me consome ainda, passada a adolescência, passada talvez a juventude de outrora, passadas as dúvidas e as questões. Esta paixão vive ainda. O circo que chega à cidade para a agitar agita sempre o meu coração.
Não sei o que fazer com este sentimentos transbordante. Não sei dar-lhe destino, nem sequer compreensão. Mas não o combato, porque me cansei de o fazer. E qualquer circo que chegue à cidade – a qualquer cidade – pode contar com a minha total solidariedade e inveja por fazer não parte daqueles que levam o sonho pelas estradas fora.

22 comentários:

Menina da Lua disse...

Bem, eu só peço para chegar ao fim da semana com um sorriso nos lábios! :) De verdade! Se o circo chegou à cidade só espero não fazer a pior figura! ehehehE, sim, claro que podemos tomar um cafézito... Beijoca

Miss Alcor disse...

Quem me dera a mim, escrever com a intensidade que tu escreves! Eu nem gosto de circo e quase que transpirava de emoção! ;)

Mina disse...

É engraçado que na nossa idade são mais as pessoas que não apreciam circo, do que o oposto.
Gostei das sensações que transmitiste, do entusiasmo!
Bjs.... boa semana!

SoNosCredita disse...

só tu para o descreveres assim... na perfeição!
porque é exactamente isso! :)

a ver se, durante o dia, lá passo pra te dar um bjinho e perguntar se precisas de alguma coisa*

≈♥ Nadir ♥≈ disse...

Olá :)
Passei para ler as novidades deixar um jinho e votos de boa semana :)
Beijokas........

      ¨`*• (¨`•.•´¨) ♡ .•*´
      ¨`*• .`•.¸(¨`•.•´¨) ♡ .•*´
      ¨`*• ♡ × `•.¸.•´  

GK disse...

Só para esclarecer: este circo é outro!... Não é o dos palhaços e domadores! LOL

Bjs.

Carracinha linda! disse...

Mensagem entendida!

Marta disse...

Gostei deste circo, que é o circo George Michael.
Este teu texto fez-me lembrar que o "melhor da festa, é esperar por ela".

bj

nuno disse...

hummm, acho que o teu emprego ideal seria seguires bandas em digressão e fazer as reportagens!;)

mixtu disse...

circo... já há algum tempo não vou, a ultima vez foi "traumatizante" fui chamado para a arena, yayaya
fui...

mixtu disse...

sobre o circo que escreves,,, sou o palhaço-mor, ai esta vida de caminante...
yaya

olhos cor do lago disse...

É... o circo da vida é um espectáculo fantástico.
Não é preciso livrares-te desse sentimento, saboreia-o, é bom...

Beijinhos

PS: Sabes, também no golf, há sempre aquela parte de marketing da coisa...

;-P

diabinho disse...

Há sempre aquela parte de marketing da coisa...

ehehehehe

mixtu disse...

miro qu o palhaço da vida aind aaqui está...
yayaya

Cátia disse...

OLA...

HOJE PASSO POR AQUI APENAS PARA TE DIZER QUE A MARTINHA DO CONFESSO AQUI FAZ ANINHOS... NAO QUERES PASSAR POR LÁ??

VAMOS FAZER UMA FESTA NO CANTINHO DELA. AHAHAHA.
BEIJINHOS

Tozé Franco disse...

Excelente texto. Parabéns.

The Star disse...

Espero que o concerto do George Michael tenha sido aquilo que tu esperas.
Depois de tantos anos à espera desta visita, ele não pode desiludir os fãs, certo? ;)

Ran Norr disse...

Olá! Vinha saber notícias do concerto. Volto depois! :)
Bjs

Pisces Girl disse...

Olá Amiga! Infelizmente, o "circo" já saiu da cidade. ;o(

Espero que o concerto do George Michael tenha sido inesquecível e que tenha correspondido às tuas expectativas.

Aguardo por notícias do concerto!

Beijinhos!

kalua disse...

Apesar das circunstâncias não me terem permitido viver intensamente este momento, adorei estar contigo no concerto! Obrigada por tudo... A forma como descreves os teus sentimentos é mesmo emocionante! Um grande beijo...

GK disse...

Este circo não é só o do George Michael. É o de todos os que dão concertos. Todos os que andam na estrada. É sempre assim. Seja qual fôr o concerto. Amo-o.

Não era fã do GM, mas acho que passei a ser! ADOREI. Ele foi fantástico. Se já adorava algumas música, depois de as ver ao vivo com aquele carinho todo do público, elas ficaram ainda mais especiais.

Menina da Lua:
A minha semana foi tão desgastante quando antecipavas que a tua seria. E esta semana não está melhor... Espero que te tenhas divertido por cá.

Kalua:
Espero repetir...

GK disse...

Nuno:
No kidding...?