terça-feira, março 14, 2006

Razão versus Coração

Coragem. Coregem para fazeres aquilo a que te propões. Tanto tempo a sonhar, tanto tempo a projectar, a decidir cada frase, cada palavra e, quando o dia se aproxima, os pés arrefecem, as mãos tremem, o coração fraqueja e... talvez seja melhor não fazer nada, pensamos.
Depois enfurecemo-nos! Então! Deste em cobarde, agora?! Se estava decidido, estava decidido! Não há que hesitar!
Mas depois lá vem outra vez o diabinho: "Sim, mas sonhar todos sonhamos. Nos sonhos manda o coração. Quando eles se transformam em projectos, aí entra o cérebro: deves ou não fazer isto? É a razão que tem que decidir!" Pronto, é verdade. Tem de ser a razão a decidir e o que é facto é que não é muito sensato fazê-lo...
Mas o coração não dorme e continua a empurrar, a fazer força, a torcer, a sonhar. E a razão começa à procura de motivos para avançar: "O que é que tens a perder? O pior que pode acontecer é seres exposta ao ridículo... Mas também, quem é que se vai lembrar disso passados uns tempos? Tu? E então?" E o coração procura sinais: "Agora é a melhor altura!Porque é que se ia proporcionar logo na melhor altura se não fosse para ir em frente?"; "Estava tudo preparado quando isto aconteceu. É porque tem de ser!"
E, dizendo que foi uma decisão racional, acabamos por fazer uma idiotice qualquer que o nosso coração manda e que nos faz sentir no topo do mundo.
O curioso é que são normalmente as idiotices ordenadas pelo coração que se revelam as decisões mais sensatas e inteligentes das nossas vidas!

2 comentários:

SoNosCredita disse...

"O curioso é que são normalmente as idiotices ordenadas pelo coração que se revelam as decisões mais sensatas e inteligentes das nossas vidas!"

há que, pelo menos, acreditar que é assim!

anabelagonçalves disse...

OIIIIIIIIII GI!!!!!
DESCOBRI O TEU BLOG!! =o)
COMO TÁS?
MANDA MAIL!! BEIJÕES!!!