quinta-feira, março 19, 2009

Carta de motivação

Ex.mos(as) senhores(as),

Escrevo esta carta, não porque ma tenham pedido, não em resposta a qualquer anúncio, nem sequer por sugestão de qualquer amigo poderoso (até porque não os tenho). Escrevo-a porque sim. Porque me parece que já nada tenho a perder.

O meu nome é GK, sou de Coimbra e tenho dois cursos superiores. Foram dois porque o primeiro não me satisfez e o segundo continua por me satisfazer. Talvez não seja a formação académica que importa, mas habituei-me a referi-la ou não tenha eu crescido na “Cidade dos Doutores”… Digo que a formação não importa porque me parece que a maior parte das empresas escolhe os funcionários atirando ao ar todos os CVs recebidos e vendo qual deles cai no caixote do lixo. Não digo isto para ofender quem quer seja, é mais porque, na minha (já interessante) vida profissional, me deparei com mais incompetência do que com gente capaz. E quanto mais importante é o cargo mais incompetência encontro… Em geral, quero dizer… Claro que há excepções. Não as há sempre?

Mas minto. Também encontrei gente capaz e dedicada... Normalmente isso passa-lhes num instante: ou desistem de remar contra a maré e passam a fazer apenas o que é estritamente necessário por não encontrarem retorno no seu investimento e empenho... ou são cilindrados e tão vergados pela falta de atenção e de incentivo que acabam por deixar de ter capacidade para se auto-motivarem e começam a acreditar que são uma corja igual aos que os avaliam.

Mas não é disso que vos queria falar. Queria falar-vos de mim. Queria dizer-vos como sou boa profissional, que enfrento desafios de cabeça erguida, que sou sociável e falo bem em público e todas essas tretas que colocamos no CV e que não significam nada se estivermos na semana do SPM. Ah! Que pecado!!!!

Perdoem-me. Não devia referir o SPM... Aliás, não devia sequer referir que sou mulher. Devia dissimula-lo, escondê-lo o mais possível com frases competitivas e tiradas jocosas, talvez a atirar para o brejeiro, em suma, devia fingir que apesar de ter mamas, também tenho tomates, como qualquer membro do Conselho de Administração da V. prestigiada empresa. Bom, assim será daqui para a frente. Perdoem-me este pequeno deslize… Tomates terei. Sempre. Embora desconfie que não chegam para esconder as mamas... Bom...

Procuro, então, o emprego dos meus sonhos. Para dizer a verdade, esta é a décima nona carta de motivação que escrevo hoje. Mas vamos lá ver se ainda consigo encontrar palavras bonitas para vos convencer de que sempre quis trabalhar na V. empresa.

...Faz mesmo o quê, a V. empresa? Ah! Desculpem… Já são muitos googlanços hoje… Já estou a confundir tudo…

Ah! Sim. Já sei o que fazem. Mas, esperem lá… Porque é que eu estou a enviar o CV para uma empresa que produz palitos em Vila Nova da Barquinha?

Ah! Já sei… Já tentei tudo o resto. Pois… Bom… O que posso dizer…? Hum… Querem mais motivação para trabalhar na V. empresa do que a conta bancária a zero? Do que sentir-me inútil e desesperada à espera de alguém que me dê uma oportunidade? Do que ter o pai e mãe a perguntarem-me todos os santos dias porque é que eu continuo de roupão sentada ao computador em vez de andar de blazer a entregar CVs de porta a porta (não entendem que os tempo mudaram…). Aliás, querem maior motivação para trabalhar seja para quem for que me dê um salário decente do que ter 30 anos e ainda viver em casa dos pais enquanto se acaba de pagar o primeiro carro em segunda mão, à custa de um mini-subsídio de desemprego arrancado a ferros no fim de seis meses de miséria num barracão qualquer registado como empresa, depois de cinco ou seis anos de vida profissional a recibos verdes???

Por isso, envio o CV em anexo. É Modelo Europeu. Lindíssimo. Cuidado. Elogioso. Eu diria que é perfeito. Só espero que ele tenha também o mérito de cair dentro do V. caixote do lixo na V. próxima consulta aos arquivos com o intuito de preencher uma vaga.

Com os melhores cumprimentos,

GK

22 comentários:

GK disse...

Estou a tentar mudar de emprego... Mas depois de refazer o CV e antes de o enviar seja para onde for... lembrei-me do que era procurar emprego...
Ainda tenho um. E com um salário decente.
Sou uma privilegiada...
:(

Su M. disse...

Neste momento o melhor é tentar arranjar motivação para que os nosso empregos se mantenham estaveis, nunca descurando a hipotese de mudança. Mas reconheço que muitas empresas estão literalmente a aproveitar-se da situação para nos explorar...
Não desistas...
Bjs

Carracinha Linda! disse...

Nos dias de hoje já é uma sorte conseguir-se manter o emprego que temos. Há 2 anos e meio que procuro um emprego com melhores condições e que me motive mais... e olha, nem sequer fui chamada para 1 entrevista...

Espero que consigas mudar e, claro, para melhor.

Bjs

Gi disse...

Eu se fosse a ti enviava esta carta de motivação juntamente com o CV.
Conheço empresas que dão valor a estes rasgos de génio. ;)

Lu.a disse...

Este post está simplesmente BRUTAL!!!

Rafeiro Perfumado disse...

Compreendo-te, apesar de em muitos sítios, felizmente, ser mulher já não representar uma desvantagem. Eu posso testemunhá-lo, trabalho há 15 anos e nunca tive um chefe homem, sendo que actualmente trabalho com 11 mulheres. Mas sei que também sou um privilegiado, e em muitos sítios impera a divisão tomates / ovários.

Beijoca, GK, e boa sorte nessa busca.

Pisces Girl disse...

GK: És mesmo uma privilegiada, mas compreendo que queiras mudar de emprego e dou-te todo o meu apoio.

Pior do que andar à procura de emprego, é ter um chefe que paga os ordenados a todos os empregados menos a mim. E são uns míseros dois salários mínimos...

Um beijinho grande e bom fim-de-semana,

Pisces Girl.

The Star disse...

É sempre de louvar quando se está sempre à procura do que achamos ser melhor para nós. Se nos acomodarmos nunca chegaremos onde sonhamos.
Boa sorte para ti.
Beijos.

Carracinha Linda! disse...

Andas em obras aqui em casa!!!

:D

Beijinhos e boa semana.

GK disse...

Carracinha!

Obrigada por teres notado!
Ainda não sei se fica assim ou se mudo tudo!!!

:)

Pedro Barata disse...

Espectacular o post e a nova imagem do blog. Gosto mais assim, escusado será dizer, pois está mais parecido com o meu...
Beijocas

Eli disse...

Coragem! Salta!

:)

Efeito Estroboscópico disse...

Bem este post está simplesmente brutal. E digo-o hoje, porque nem de propósito, e uma vez que também sou uma felizarda que tem emprego revejo-me nas palavras escritas: tenho uma caderneta também com alguns diplomas, faço o que não gosto e ... aguento-me "à bomboca" há anos! Respondi a um anúncio que a mim me pareceu interessante, mas que não referia uma palavra sobre o que pretendiam do candidato! ARRISQUEI! Porque com 34 anos estou a chegar ao limite de o poder fazer (acho eu!). Fui hoje à dita entrevista, não pelo meu CV (e também ele em formato Europeu! lol), mas pela carta de apresentação completamente fora do habitual que resolvi escrever. Apenas escrevi o que sentia na altura... e isso era uma vontade enorme de mudar de vida! Senti-me bem e pareceu-me ter corrido bem. Estou à espera de uma resposta até à próxima semana. A ansiedade é enorme. Não é um contrato milionário, mas é o inicio da mudança... e isso deixa-me feliz... :) :) :) MUITOOOOOOO!

Kalua disse...

Não deixes o que tens, se conseguires aguentá-lo, porque nos dias que correm as coisas estão muito complicadas mesmo... se achas que precisas de mudar, também não custa tentar, não tens muito a perder (a não ser tempo e paciência!), mas não desistas, vai à luta... nunca se sabe!
bjs

Anónimo disse...

exactamente..

Sparks disse...

Olha...podia escrever 1001 palavras, mas vou me ficar por uma GÉNIAL...por muito que tentasse, não escreveria melhor...provavelmente, nem igual...

Ah...não te acomodes, nem te deixes ir abaixo...tá difícil, mas tudo que é bom é difícil...luta e lembra te que estamos todos nessa guerra..

Cumps

Anónimo disse...

Genial, fabulástico ou as palavras caras que desejarem utilizar! Para mim foi a melhor carta de motivação que li até hoje, não que tenha lido muitas, mas esta realmente é soberba!
SOBERBA foi a palavra que mais me vinha à mente ao longo da leitura.
podem tirar-nos tudo menos a liberdade de pensar o que queremos e dizer o que achamos!!!!!!!!!!!!

Força GK
Bruma

Vizinha do Lado disse...

Como te compreendo...

A minha situação é mais ou menos a mesma, mas em vez de um segundo curso acabei por fazer o mestrado...

Melhores tempos virão!!!

Com uma carta de motivação dessas quase de certeza que pelo menos o teu cv iam ver..

ehheheh

Nuno disse...

Olá!

Achei este post verdadeiramente genial, é muito raro comentar seja o que for, mesmo gostando de ler os comentários dos outros...
Gostei tanto que, se me deres autorização, envio essa carta de apresentação a duas empresas que me pediram uma e depois conto-te o resultado desse envio. Nem que esse envio sirva apenas para colocar um sorriso, ou não, na pessoa que a ler.
Mostrar que há mais em todos nós do que aquela carta amorfa e fotocopiada milhares de vezes pelos jovens demasiadamente escolarizados como é o nosso caso.

Muita sorte. Nuno

hugo disse...

Olá,

adorei ler este post. GK, se ainda não mudaste de poiso, não desistas. É preciso ter personalidade, carácter e muita força de vontade para não desesperar neste País de Bananas e tu tens toneladas disso.
Um forte abraço
H

Suzi disse...

Sem dúvida a melhor carta de motivação que já li...

Estou desmotivada e tb tenho que escrever uma. Mas daqui tirei algumas gargalhadas. É triste mas esta realidade do mercado do trabalho deixa qualquer um de rastos.

Um abraço

Suzi

magia em pó disse...

Boa Noite GK

Estou em fase de redacção de uma carta de motivação e ainda sem uma palavra escrita está a mostrar-se frutuosa, pois no meio da teia da worl wide web, levou-me até si. Não pude deixar de ler e de encontrar pontos comuns no que sinto por estes dias, que já se contam em meses largos, e nas suas palavras.

Se me permite... deixo a minha opinião. Tenho um emprego estável e se me quisesse resignar poderia passar o resto da vida nele. Mas acabei de pedir uma licença sem vencimento para terminar um mestrado antes que o meu emprego termine com a minha sanidade mental... E não, não olho para mim como uma sortuda, pois sei que o meu valor, está muito além daquele que me é atribuído, quer como potencial humano, quer económico. Luta, pois a realização profissional existe e há que estar no seu encalço.