quinta-feira, dezembro 18, 2008

Síndrome do Patinho Feio

No dia em que postei as flores (com uma murcha: EU!), um evento que estávamos a planear teve de ser cancelado. Era uma visita aérea, o tempo piorou muito e os jornalistas começaram a desistir. Eu assumi todas as culpas, desesperei, disse ao meu chefe que o meu lugar estava à disposição, porque o que eu sabia fazer já tinha feito para colocar a empresa nos títulos dos jornais. A televisão nunca nos deu atenção. Esse é um dos objectivos que nunca consegui concretizar.
Chorava compulsivamente, sozinha no escritório, enquanto falava com ele pelo Skype.
“Você tem a síndrome do Patinho Feio!”, escreveu por fim. E depois tentou convencer-me de que eu via o mundo sempre nos meus ombros e as coisas não eram bem assim. Disse-me que eu tinha de parar de assumir culpas que não eram minhas ou que, no mínimo, eram partilhadas e que tinha de deixar de ser tão dramática. Garantiu que aquela era a última vez que me ia dizer que confiava em mim e que eu tinha de arranjar maneira de ter mais confiança em mim própria. “Confiança é tudo!”, reforçou, “Olhe para mim!”.
O meu chefe é uma espécie de Mourinho, mas em afável. Um tipo cheio de genica, que pinta sempre quem é, o que faz e aqueles com quem trabalha com uns pozinhos de optimismo a mais do que a realidade. E a verdade é que resulta. As pessoas tornam-se aquilo que ele espera, os acontecimentos quase sempre acabam por lhe ser benéficos e aos quarenta e poucos é uma das pessoas mais conceituadas da área em que trabalha NO MUNDO! E garante-me que só chegou onde chegou porque NUNCA duvida dele próprio.
Na altura acho que acabei por não lhe responder. Ou, se respondi, foi com algum smiley banal. Ontem voltei a lembrar-me do que ele me disse....
A verdade é que, sim!, eu tenho a Síndrome do Patinho Feio. Na vida profissional, na vida pessoal e na vida amorosa. Assumo as culpas de tudo o que corre mal. Não raras vezes, analiso algo que correu bem de forma enviesada e imagino que, na verdade, não foi perfeito e assumo que é culpa minha! É esse o meu padrão.
Analiso e analiso-me tentando encontrar formas de fazer com que não se repita. Sinto que as pessoas todas me julgam no mau sentido, quando, na maior parte das vezes, esse julgamento só existe na minha cabeça. Sinto inúmeras vezes que falhei ou que não estive à altura e preparo-me para as consequências… que raramente chegam. E, como não chegam, ponho os espinhos de fora. Desmotivo-me. Imagino que estão à espera de um momento mais oportuno para me dizerem o que pensam. Ou, pior, nunca o dirão. Mas acredito que a minha falha foi notada e anotada e, por isso, aguardo o dia do “julgamento final” com impaciência.
A minha relação com o meu namorado também é assim. Sinto que o negligencio, embora ele não se queixe. Prometo mudar, embora ele não mo peça. Juro que serei melhor, embora ele garanta que existe em mim algum tipo de perfeição idílica que eu não identifico nem nunca vi existir.
Ontem, após mais uma mensagem com todos estes juramentos, lembrei-me das palavras do meu chefe...
Será que é tudo ilusão da minha cabecinha? Será que eu sou boa namorada? Boa profissional? Boa amiga? Será? Não sei porquê, por mais respirações zen e sessões de relaxamento em que participe, acho que vai ser preciso o mundo virar do avesso para que eu acredite nisto. Eu, para já, só consigo acreditar que tento, que me dedico-me, que invisto, às vezes demais, já que me consome de self pity por sentir que nunca chego onde quero ou a ser quem quero… É tudo uma questão de objectivos, ou não?
Deus, se existes, que tal uma formatação nova aqui ao cérebro da menina como prenda de Natal…?

7 comentários:

Fadinha da Sombra disse...

Vontade e coragem têm de sair do nosso interior!

Acredita que és tão boa como te dizem e tenta olhar a vida com um sorriso, vais ver que as coisas mudam :)

Feliz Natal

Beijitos :)

GK disse...

Desjo:

BOAS FESTAS A TODOS!

Em especial ao que visitarem este cantinho ANTES de eu colocar a mensagem Natalícia!

:)

Rafeiro Perfumado disse...

Tudo passa exactamente por aí, GK, nunca duvides de ti, mesmo que os outros o façam. E nunca te esqueças doutra coisa, no fim o patinho feio tornou-se o mais lindo de todos. ;)

Beijo e um feliz Natal para ti!

Pisces Girl disse...

Hmmmmmmmmm...
Se és boa namorada? Não sei! Isso tem que ser o teu mais que tudo a dizer... ;o)
Se és boa profissional? Tenho a certeza que sim!
Se és boa amiga? Claro que sim!

Um beijinho grande e como a Fadinha da Sombra disse "tenta olhar a vida com um sorriso...",

Pisces Girl.

The Star disse...

Sei exactamente aquilo que sentes, eu própria muitas vezes não consigo confiar em mim, e fico sempre com a sensação que não boa o suficiente. Mas não raras as vezes que as pessoas contrariam esse sentimento que tenho para comigo.
Começo a pensar que um pouco de confiança em nós próprios nunca fez mal.
Vamos tentar mudar e acreditar que somos realmente boas? Vou fazê-lo se prometeres também tentar. ;)

Um Feliz Natal para ti!

SoNosCredita disse...

és boa, sim!
pelo menos, por alguns desses aspectos posso responder... dizer o q penso.
e ele é bem capaz de ter razão, quanto a esse síndrome.
lol
ñ sei pk, tb me identifico com essa postura...
medo!

:)

*

Gi disse...

Deus deixou-te um disco virgem, ou apenas com alguns parâmetros, o resto deverás ser tu a fazer.

Feliz Natal e um Anode 2009 em grande.



verificação de palavras que me calhou: feliz