quinta-feira, julho 10, 2008

Roller coaster

Estou na antecâmara do desfalecimento… Nas vésperas do suspiro de alívio. Antevejo já o dia da libertação!... Os dia em que os “pendentes” ficam, FINALMENTE, resolvidos!
Ainda faltam algumas “coisicas” para chegar “ao fim”. Mas os projectos “monstruosos” estão na recta final e eu já começo a consiguir respirar…
Já chorei. Chorei muito. Deitada à beira-mar pela primeira vez este ano, libertei o que me ia na alma até começar a dizer baboseiras incompreensíveis desenterradas sabe-se lá de onde da minha alma. Fiquei com os olhos empapados e o rosto com uma nuvem de tristeza. Mas deixei de ver aquele fantasma encovado que me olhava no espelho. Agora, embora cansada, vejo-me a mim.
Sou uma sortuda. A vida dá-me coisas lindas. E eu - como gaja que sou, como portuguesa que sou, como parva que sou - estrago. Encontro pó e cinzas onde há brilho e cor.
Mas estou a começar a ver, lá bem ao fundo, no horizonte escondido pela luz intensa de um sol que nasce devagar, o tal brilho e a tal cor que procuro para a minha vida.
Será temporário, eu sei. Como tudo é temporário. Mas passada letargia do cansaço que está a cair sobre mim, eu sei que, pelo menos durante algum tempo – pouco! – vou sorrir para cada dia. E vou ver de novo o meu anjo protector negligenciado por entre a azáfama das minhas últimas semanas e vou agradecer-lhe por mais um mês carregadinho de histórias para contar. Histórias felizes.

7 comentários:

Musicology disse...

É uma característica tão lusa essa de complicar tudo... Ainda assim, sempre acreditei q ias ver essa luz de que falas bem antes de sequer pensares nela!
Beijo, força e um sol gigante!

Fevereiro disse...

Ai o fado, o destino que nos persegue, ou seremos nós que o perseguimos a ele ? Depois ficamos tristes e com coisas para nos queixarmos...até acreditarmos que podemos tentar livarar-nos desse fado, ou será fardo?
Beijinho.

The Star disse...

Mesmo que seja temporário, mesmo que seja só um grão de areia no meio do deserto, aproveita bem essa luz...
Quem sabe se ela não começa a aproximar-se e do lado de lá encontras o que tanto precisas?
Força!!!

Rafeiro Perfumado disse...

Se eu encontrar alguma gaivota traumatizada já fico a saber de que praia ela veio... ;)

Kalua disse...

é bom ver que estás a libertar essa tristeza... tudo tem solução, ás vezes não conseguimos é encontra-la... ;)
bjs

Nilson Barcelli disse...

Acho que já te disse, mas repito:
Tens que aprender a ser feliz com o que tens.
Sem deixar de ser saudavelmente ambiciosa.
Este equilíbrio é difícil, mas é possível (eu sou assim).

Beijinhos.

SoNosCredita disse...

ah bem!

:)