segunda-feira, abril 23, 2007

O tuga e o riso

Eu sabia que os portugueses eram sisudos. Mas recentemente descobri uma verdade ainda mais triste e perturbadora…
Quando estou demasiado cansada e com tendência para a depressão pelo limite em que o meu corpo se encontra, contrario isso brincando. É quando me apetece espreguiçar, rir, saltar como uma criança. Normalmente, acompanho esta vontade com piadas e palhaçadas.
No outro dia estava nesse tal estado lastimoso e fui encontrar-me com uma amiga. A cada pergunta dela, apetecia-me responder-lhe mal e enrolar-me na minha casca, por isso comecei a brincar.
Quando decido isto, não há volta. É palhaçada atrás de palhaçada. Normalmente, torna-se agradável para quem está comigo, a menos que essa pessoa tenha alguma coisa contra dar um bocadinho nas vistas. Naquele caso, a minha amiga agradeceu o facto de eu ter decidido brincar em vez de me ter armado em parva.
Naquele dia lá íamos, as duas, a rir enquanto nos dirigíamos à caixa do supermercado. A menina da caixa lá disse as “boas noites” e começou a fazer a conta à minha colega. Ao riso e constantes piadas que eu dizia à minha companheira, associei um desfile em passo de manequim até ao outro lado da caixa. Também acho que saltei um bocadinho e simulei um combate de boxe, sempre acompanhado das imperceptíveis piadas.
A menina da caixa, que de início me tinha olhado com os cordiais olhos de quem “vê mas não vê”, começou a observar-me assim que me viu rir. À medida que a minha palhaçada prosseguia, o olhar dela foi mudando. Não fiz nada de propósito, nem me lembrei que os meus actos lhe poderiam interessar, mas a verdade é que quando disse o valor da conta à minha colega, os seus olhos estavam cravados em mim como se me quisesse matar.
Comentei o sucedido com a minha amiga e ela confirmou as minhas suspeitas: se estamos a rir ao pé de um tuga, o tuga assume que estamos a gozar com ele!!!

11 comentários:

Mina disse...

O tuga é do contra! Já não se pode ver alguém bem disposto...
Boa semana, bjs!

Miss Alcor disse...

Ihihiih! Nunca tinha pensado nisso! eeheh!
A verdade é que eu levo tudo para a palhaçada! Não há nada que me ponha mais bem disposta! Mas realmente essa do tuga deitou por terra as minhas aspirações! ;)

MarYland disse...

Tens toda a razão! A verdade é que, de uma forma geral, nós, tugas, sofremos do "síndrome da perseguição" e do "síndrome do umbigo desmesurado"...Enfim, parece que nos está no sangue. Já "nuestros hermanos" funcionam com outro salero e estam-se nas tintas para quem ri, deixa de rir ou faz rir..É preciso dar um desconto ao tuga - direi mesmo "pô-lo em saldos"! Mas continuar a "parvejar" SEMPRE, SEMPRE, SEMPRE! Keep on the good work, girl!;)
Beijokas e boa semana!

ouriço disse...

quando as pessoas são desconfiadas pensam sempre que algo que esta a acontecer e para os tramar, a isto chama-se "espirito de perseguição", por outro lado a gente que se julga tão importante que pensa que as pessoas perdem tempo com elas, bjs e obrigado pelo comentário no meu blog.

Patrícia disse...

LOL talvez essa seja um conclusão muito acertada de se tirar de tal situação. Bem, pensando bem, até eu mesma tendo a ter tais pensamentos em situações semelhantes... Parvoice, deve ser a tal "mania da perseguição". =P

Post, sem dúvida, divertido!


Um beijinho * (=

Angélica disse...

É verdade!!!



Vim deixar bjus e desejar uma semana feliz..bjus carinhosos.

Pisces Girl disse...

Pois! Pelos vistos já nem podemos ter vontade de rir e de estar na palhaçada!

Enfim...

Boa semana!

Menina da Lua disse...

Pois, realmente é assim mesmo! :) Tadita da miúda...devia estar com o tpm...

E que venham mais dias plenos de riso... mas que isso não queira dizer que estás "demasiado cansada"

Beijo meu

SoNosCredita disse...

por vezes, tb eu tenho essa 'mania de perseguição'.
ñ sei porquê, mas é inevitável!

Marta disse...

A felicidade alheia incomoda muito mais que a tristeza... é pena!

bj

a friend's friend disse...

Parabéns pela boa disposição em tempos difíceis! É exactamente isso que falta ao tuga e também por isso que achamos estranho alguém que ri, sem razão "óbvia" para tal.

Um exemplo a seguir! Parabéns!